Lanchas

Sistema de combustível

por Jim Hendricks
Postado em 06 de Dezembro de 2017

Cinco coisas que você deve saber sobre o respiro do sistema de combustível

Cinco coisas que você precisa saber sobre os respiros do sistema de combustível (Foto: Wikimedia Commons)Após ter trocado o tanque de combustível da minha lancha por um mais moderno, de polietileno, passei a ter um problema: ficou muito difícil abastecer o barco. O bico interrompia frequentemente o abastecimento, como se o tanque já estivesse cheio. Até que saiu um jato de combustível pelo respiro. 

Para investigar, desmontei a tampa que dá acesso ao tanque e a causa ficou evidente: na montagem do novo tanque, a mangueira do respiro foi montada de forma a possibilitar a coleta de líquido em sua parte posterior, impedindo a passagem de ar.

Esse erro não só impede o abastecimento correto como pode provocar perda de potência ou até a parada do motor, por permitir a formação de vácuo no tanque.

Com essa experiência, aprendi uma das mais importantes lições sobre respiros em sistemas de combustíveis. 

Seguem, portanto, cinco fatos que você deve saber a respeito dessa componente importante do seu sistema de combustível.

1 - Nunca encurrale
Uma instalação correta típica para a linha de ventilação (Ilustração: Tim Barker)

 

 

 

 

 

 

 


Quando estiver passando uma mangueira de respiro, evite caminhos que propiciem o acúmulo de líquido, tais como arqueamentos. Aprendi a duras penas que o acúmulo de líquido impede o ar de sair do tanque durante  abastecimento. Uma instalação correta típica para a linha de ventilação, como também é chamada essa mangueira, é esquematizada acima. Ela deve percorrer um caminho horizontal da saída do tanque até o costado para então subir até o respiro, fazendo antes um sifão. O objetivo é ter uma linha mais curta possível e que permita qualquer combustível acumulado a retornar ao tanque, pelo efeito da gravidade.

2 - Tela limpa
A maioria dos respiros está equipada com uma tela de aço inoxidável (Foto: cortesia Attwood)

 

 

 

 


 

 

 

A maioria dos respiros está equipada com uma tela de aço inoxidável (foto acima) que impede a entrada de impurezas ou insetos. Além disso, elas servem para impedir que faíscas inflamem os vapores de combustível. Essas telas, com o tempo, podem acumular sujeira, impedindo a passagem de ar. Se estiver tendo problemas no seu sistema, essa é a primeira coisa que você deve checar. Veja se está suja ou bloqueada e remova qualquer vestígio de impurezas com uma pequena escova de arame. Se por acaso a corrosão acabou com a tela, substitua o respiro.

3 - Mantenha seca
Respiros instalados no costado foram desenhados para serem instalados em ângulos próximos da vertical e de modo que os vapores sejam conduzidos para fora — e não para dentro — da embarcação, mas isso traz um dos maiores problemas dos respiros: eles podem deixar entrar água. Uma das medidas para impedir é montá-los o mais alto possível no costado, para que estejam fora do alcance do spray. Outra solução é imprimir-lhes pequenos ângulos para trás e para baixo, prevenindo assim a entrada de água vinda da proa. Se for escolher um novo respiro, prefira os mais modernos, desenhados para evitar a entrada de água.

Uma solução mais simples, porém mais trabalhosa, é incluir na linha do respiro uma volta, tipo sifão, se houver espaço. Assim qualquer água que entrar fluirá naturalmente de volta para fora. Empresas como a Perko e a Attwood produzem versões mais sofisticadas de respiro, que incorporam em seu desenho soluções para evitar a entrada de água. Além disso, são montadas faceando o costado, de uma forma bastante elegante.

Dica: quando for lavar o barco, sempre aponte a mangueira para trás e para baixo, quando estiver na área dos respiros. Assim a água não entrará no tanque, contaminando o combustível.

4 - Cobertura
Concha de bronze da Perko (Foto: cortesia Perko)

 

 

 

 

 

 

 

 

Se a sua lancha navega muito em águas agitadas e houver sinais de entrada de água pelo respiro, considere instalar uma “concha” sobre o respiro. A Perko produz uma de bronze cromada que mede cerca de 5 cm (acima). A Sea Fit oferece o mesmo modelo em aço inoxidável ou você pode comprar uma da SSI em plástico ABS. Na hora da montagem, direcione a abertura para trás e levemente para baixo, para que a água vinda da proa seja efetivamente defletida.

5 - Sem vazamento
A Attwood oferece um protetor de surtos P-Trap, que vem com saída de casco integrada (Foto: cortesia Attwood)

 

 

 

 

 

 

 

Uma válvula antivazamento impede que eventual combustível na linha do respiro seja mandado para fora do barco, poluindo as águas. Ele não só é ecologicamente correto, como impede que seu casco fique manchado pelo combustível. Há vários fornecedores desses equipamentos, entre eles a Vetus, Attwood e Racor. A Green Marine oferece um que assobia enquanto você abastece, mas para de assobiar quando o tanque estiver ficando cheio! Contando com espigões, tanto na entrada, quanto na saída, eles são montados verticalmente na linha do respiro, por meio de abraçadeiras em inox. Certifique-se de que está montando na posição certa, pois eles dependem da gravidade para funcionar corretamente. A Attwood oferece também seu protetor de surtos P-Trap, que vem com saída de casco integrada (foto acima).

As válvulas antivazamento tendem a não funcionar com o tempo. Os resíduos resinosos provenientes dos vapores de combustível formam uma gosma que, com o uso, impede a esfera de plástico no interior do sistema de ficar presa e não permitir a passagem de ar. Tive um problema desses, de tal forma que meu motor chegou a parar, por excesso de vácuo no tanque. Se você balançar o equipamento e a esfera em seu interior não fizer ruído, chegou a hora de trocar por uma nova.

Newsletter

Cadastre-se para receber nossas novidades!

comentários