Marinharia

Algumas dicas para manobrar com joystick

por Administrador
Postado em 26 de Setembro de 2017

Controles do tipo joystick proporcionam novas possibilidades aos comandantes de barcos a motor

Controles do tipo joystick proporcionam novas possibilidades aos comandantes de barcos a motor. Em espaços limitados eles permitem que o piloto execute manobras que seriam simplesmente impossíveis de serem executadas com controles convencionais. Mas apesar disso, eles requerem uma curva de aprendizado, mesmo que ela seja mais suave para a maioria das pessoas. Os velhos lobos do mar, com sua vasta experiência, frequentemente levam mais tempo para se acostumar com as particularidades desses sistemas.  Fique atento para as idiossincrassias dos joysticks.

Rolagem
A possibilidade de mover o barco lateralmente é muito útil durante a atracação. Porém, é preciso tomar cuidado com a movimentação lateral do joystick.  Faça-o com suavidade, pois o deslocamento lateral induz a embarcação a um momento de rolagem, na direção oposta à do movimento. Quanto mais rápido o deslocamento lateral, maior a rolagem. Da mesma forma, quando se alivia a pressão lateral sobre o joystick, o barco tende a rolar no mesmo sentido em que estava se deslocando, como em uma freada. Portanto alivie a pressão sobre o joystick antes de chegar perto demais do cais, ou a inércia poderá fazer o barco rolar  e bater, eventualmente danificar o casco.  Assim como se faz com controles convencionais, use o seu bom senso e os elementos da natureza, como ventos e correntezas para, com a devida antecipação, encaixar o barco na vaga “do jeito dele”.

Girar e empurrar
Basicamente um joystick é operado com torção e pressão. Empurre a alavanca na direção em que deseja que o barco se mova. Gire-o e o barco acompanhará esse movimento. Apesar de existirem situações em que se tenha que empurrar e girar o joystick simultaneamente, evite-as até que ganhe experiência e confiança suficientes para fazê-lo. Comandantes não muito habituados aos joysticks frequentemente se atrapalham ao girar e empurra-los simultaneamente e inadvertidamente tiram o barco da posição desejada durante a manobra. Assim como no manuseio de controles convencionais, é necessário um certo tempo de uso para se adquirir a sensibilidade correta.

Onda está, fica
A maioria dos fabricantes de controles tipo joystick oferecem a função “mantenha-a-sua-posição” (station-keeping). É simplesmente a habilidade de manter o barco em uma mesma posição ao simples toque de um botão, graças à integração do sistema de controle com um GPS. Nós testamos esta função em condições adversas e com vários tipos de sistemas de propulsão, e pudemos constatar que a coisa funciona mesmo. E comparado com controles convencionais, é quase uma brincadeira de criança usá-la quando se espera na fila do abastecimento ou da entrada de uma eclusa, ou simplesmente “pairando” sobre seu ponto favorito de pesca. Mesmo assim, usar a função “mantenha-a-sua-posição”, como todo piloto automático, requer a atenção contínua uma pessoa de carne e osso ao leme. Ela não foi projetada para permitir que o timoneiro deixe o comando e vá para a proa, por exemplo. Não se deve ter nenhuma dúvida quanto a isso.


Dica rápida
Uma vantagem adicional dos controles tipo joystick, e que frequentemente não é percebida, é que eles são um segundo conjunto de controle dos motores e portanto aumentam a segurança e confiabilidade da embarcação.

Dois efeitos colaterais a serem evitados
Assim como a proa do barco se levanta enquanto ele acelera e abaixa quando a velocidade de cruzeiro é atingida, a lateral do barco pode se elevar e depois abaixar quando o barco se move lateralmente.

O simples peso da mão do timoneiro pode inadvertidamente induzir uma pressão lateral no joystick, enquanto ele está sendo girado. Dessa forma, ao invés do barco girar em torno de seu eixo, ele pode se mover para fora de sua posição.

*Texto: Kevin Falvey

Newsletter

Cadastre-se para receber nossas novidades!

comentários