Marinharia

As cinco regras de ouro para evitar a pane seca

por Administrador
Postado em 15 de Setembro de 2017

Simplesmente não há desculpas para uma pane seca; ao mesmo tempo, até os melhores capitães erram — afinal, errar é humano

Um vídeo no YouTube em que uma pequena lancha quase é atropelada por um navio tanque por estar sem combustível viralizou na internet. Simplesmente não há desculpas para uma pane seca. Ao mesmo tempo, até os melhores capitães são humanos e, naturalmente, errar é humano. Com isso em mente, apresentamos a seguir cinco regras que certamente farão com que você nunca passe por essa situação.

1 - A regra dos terços
Mais antiga que andar para a frente, essa regra conclama o capitão a calcular o combustível necessário para chegar ao destino. Caso não se pretenda abastecer no caminho, essa quantidade não deve passar de 1/3 da capacidade do tanque. Outro 1/3 será usado para a volta e 1/3 será a reserva estratégica para imprevistos.

2 - Mar revolto
Se as condições de mar e vento se deteriorarem, será necessário uma quantia extra de combustível. Portanto, se puder, antecipe-se ou adeque-se às mudanças climáticas. Minha experiência pessoal é de que é muito menos estressante aguardar o tempo melhorar estando protegido do que estar preso em meio a uma “porranca”, que é como os marinheiros mais experientes chamam essa situação.

3 - Eleve o trim
Barcos bem construídos possuem o pescador de combustível em seu lado posterior. Como os barcos normalmente navegam com a proa mais alta o combustível se acumulará na parte posterior e, em casos extremos a bomba de combustível consegue bombear o combustível por mais tempo. Sabendo disso e, estando com nível de combustível baixo, é uma boa ideia de elevar a proa, mesmo sabendo que o conforto pode ser afetado.

4 - Plano B
Se estiver navegando e, de repente, perceber que o nível de combustível pode estar abaixo dos mínimos, guarde a auto-flagelação para depois. A primeira ação a ser tomada é analisar se há um porto seguro alternativo em seu caminho. Na verdade, em qualquer cruzeiro, por mais curto que seja, é bom sempre considerar um “plano B”, antes mesmo de iniciar a jornada, pois sempre podem ocorrer imprevistos. Comandantes prudentes sempre têm um ás na manga.

5 - Mantenha registros
Historicamente, indicadores de nível de combustível são tão confiáveis quanto as canetas Mont Blanc adquiridas na rua 25 de Março. A bordo de barcos com casas de máquinas em que se pode entrar confortavelmente, geralmente os tanques possuem espias, que dão indicação visual dos níveis de combustível. E, mesmo assim, só se Diesel for o combustível do barco. Uma alternativa, para quem tem barcos menores, é utilizaram uma vareta de madeira calibrada, ou marcações do lado de fora do tanque, se ele for translúcido. Mesmo assim, a maioria dos comandantes responsáveis mantém um Livro de Registro a bordo em que é marcada a data, quantidade de combustível adicionada e as horas dos motores. Nunca confie em nenhum reloginho ou só em sua própria memória. Na melhor das hipóteses, ficar sem combustível é uma grande chateação e, na pior, um grande perigo para o barco e também seus tripulantes. Com toda a certeza vale a pena tomar todos os cuidados para que isso não aconteça.

*Texto: Kevin Falvey

Newsletter

Cadastre-se para receber nossas novidades!

comentários