Vela

Como pagar seu barco colocando-o na frota de uma empresa de charter

por Elaine Lembo
Postado em 04 de Dezembro de 2017

Pague seu barco colocando-o na frota de uma empresa de charter e ainda usufrua dele em qualquer parte do mundo

A Sunsail disponibiliza vários modelos para compra, incluindo o 444, um catamarã de quatro suítes (Foto: divulgação/Sunsail)Há cerca de um ano, Bob Piccoli incorporou o seu Lagoon 400, Big Dog II, à frota de barcos de charter da Dream Yacht Charter na ilha de Great Abaco, nas Bahamas. Foi o final de uma longa jornada que consumiu muitas horas de pesquisa na internet, visitas a boat shows, conversas com brokers e muito papo com sua esposa, Cheryl, que antes disso nunca tinha velejado.

“Foram cerca de cinco anos para completar o meu projeto”, conta Bob. “Analisei todos os programas de financiamento propostos pelas companhias de charter. Todos os anos visitei o Boat Show de Annapolis, Estados Unidos. É uma excelente oportunidade para conhecer os mais diversos barcos e onde vendedores experientes estão à disposição para responder a todas as suas perguntas”. Ao longo do processo, Bob e Cheryl conseguiram definir o que queriam e, principalmente, o que não queriam de seu barco. “A princípio, eu queria um veleiro monocasco grande, mas minha mulher não se sentia confortável com essa escolha. Quando fomos conhecer o catamarã da Lagoon, chegamos à conclusão de que era esse o barco”. Tínhamos que estar certos de que ela conseguiria manejar o barco, em caso de uma emergência e nele temos a certeza de que ela consegue.

“Já eu não queria um barco igual a todos os outros”, conta. “Queria que ele fosse a minha cara. Que tivesse uma estação de comando equipada com catracas elétricas, TV via satélite e quatro cabines. Queria escolher o tipo do acabamento interno e a cor do spinnacker e da genoa”.

“Além disso, meu barco teria que possuir um armário privativo para que eu pudesse deixar meus equipamentos de mergulho a bordo, para não me ver obrigado a levar e trazê-los toda a vez que fosse usar o barco”. Além disso, foi estipulada no acordo a inclusão de um armário privado também na cozinha; assim, alimentos não perecíveis poderiam estar permanentemente a bordo.

“Outro ponto importante para mim é que o barco teria de ser bem mantido pela empresa de charter”, diz Bob. “Pelo meu contrato, posso usar o barco pelo menos 12 vezes no ano, ou sempre que não houver programação de charter para terceiros. O meu objetivo ao decidir por essa modalidade é o de que o barco se pague e que me possibilite acumular capital para a aquisição do meu próximo e último barco, que é aquele em que pretendo me aposentar”.

Parece um sonho, certo? Para aqueles que têm o mesmo objetivo de Bob Piccoli, aí vão algumas dicas: considere o negócio como um investimento financeiro; “se te prometerem o retorno do capital no primeiro ano, fuja. Não, corra!”, diz Bob.Tenha a certeza de que pode administrar imprevistos.

Pergunte a si mesmo qual o seu objetivo com o barco. “Você quer que ele se pague e no final esteja disponível para seu uso? Ou quer dá-lo como sinal de um próximo barco? Tenha a certeza do que espera dessa transação”, ensina Bob.

Quando for escolher a empresa de charter para administrar o barco, certifique-se de estar confortável e confiante em sua administração. “São eles que administram e mantêm sua embarcação”, diz Bob. “Vão executar tudo o que for necessário e não necessariamente vão lhe ligar todas as vezes que o fizerem. Você tem de se sentir confortável com isso”.

Tirando dúvidas
E isso é apenas o começo. Ser proprietário de uma embarcação de charter é muito mais do que simplesmente alugar um bem. Pode acabar se tornando um investimento muito mais emocional do que financeiro. Para aprofundar mais meus conhecimentos sobre o negócio de administração de barcos para charter, seus programas e as opções de financiamento disponíveis, enviei minhas perguntas a várias empresas especializadas no negócio, bem como para o Bob.

Entre as empresas selecionadas, incluí as grandes empresas globais, como a The Moorings e a Dream Yacht Charter, empresas médias como Catamaran Company e Horizon Yacht Charters; operações-butique como CYOA Yacht Charter, além das locais Bavaria USA e Great Lakes Sailing Company.

A conclusão é que existem infinitas possibilidades e arranjos e a chave para o sucesso, como bem aponta Bob, é você saber o que quer para o seu empreendimento particular.

O apanhado de dúvidas mais frequentes apresentado a seguir pode ajudar aos potenciais velejo-investidores a definir a escolha certa para suas necessidades.

Pergunta: Qual o principal objetivo quando se compra um barco e o inclui em uma frota de charter? Gostaríamos de saber quais os prós e os contras financeiros e quanto realmente custa para o proprietário.

Empresas: Comprar um barco e colocá-lo em uma frota de charter é uma forma de financiar suas férias a bordo e, em muitos casos, pagar pelas prestações do financiamento. Não pode ser considerado uma forma de investimento com objetivo de rentabilidade, mas os melhores programas garantem ao proprietário que ao fim do programa, seja ele de 1, 3, 5 ou mais anos, os donos terão usufruído de seu barco (ou de barcos similares em outras localidades) sem perder dinheiro.

Algumas empresas pagam todas as despesas correntes e garantem ao proprietário um pagamento anual, suficiente para cobrir parcial ou totalmente os custos do financiamento de seu barco.

Bob: É um pouco de tudo. Gostamos de velejar nas Bahamas, onde é a base de nosso barco. O fato de estar na frota da Dream Yacht Charter ajuda a pagar as despesa e temos a vantagem de poder usar barcos equivalentes em outras bases da DYC, de forma que temos o melhor dos dois mundos. De qualquer forma, o barco e o financiamento estão registrados em meu nome de forma que a responsabilidade financeira é minha, caso a receita de charter não seja suficiente para cobrir as despesas. É um risco financeiro considerável e você deve estar preparado para assumi-lo. Além disso, há custos iniciais. No primeiro ano, tenha uma reserva suficiente para pagar o financiamento todos os meses. Em meu caso, consegui da empresa de charter recursos para cobrir metade das parcelas do financiamento e espero no segundo ano poder ter uma receita ainda maior. O bom é que no final do contrato o barco vai estar pago e eu não gastarei mais nada com empresas de charter. Na real, velejar é um hobby caro e quem conseguir não ter despesas com ele já se deu muito bem.

P.: Que tipo de vantagens os proprietários conseguem colocando o barco na frota de charter? Quantas semanas podem velejar no ano? Quanto custa para o proprietário e onde ele pode velejar?

E.: O tempo de uso pelo proprietário é variável, dependendo de cada empresa, mas fica entre duas a 12 semanas anuais. As maiores empresas, como a Moorings, oferecem aos proprietários o uso de barcos similares em qualquer base da frota. As despesas durante o uso normalmente se referem a bebidas e alimentação, limpeza, gelo, roupa de cama, gás e uso do caíque, podendo chegar a algumas centenas de dólares.

Bob: Em meu acordo estão previstas até 12 semanas por ano de uso próprio, em nosso barco ou em outro da frota da Dream Yacht Charter, em qualquer parte do mundo. O legal é que o barco é meu, então só gasto com comida, bebida e combustível. Por meio do site da DYC posso ver a programação do meu barco. Se não estiver sendo usado, podemos usar, fora do limite de 12 semanas. Dependendo da situação fiscal de cada proprietário, podem existir vantagens de natureza fiscal.

P.: Como vocês garantem que o barco estará sempre bem mantido? Há uma verificação antes e depois de cada saída de charter? Quais as despesas cobertas pela empresa de charter e quais as de responsabilidade do proprietário?

E.: A manutenção do barco é feita em intervalos regulares e a forma de rateio dos custos varia de empresa para empresa. Algumas pagam por toda e qualquer manutenção e o barco é verificado antes e depois de cada saída, além de fazer as manutenções recomendadas em intervalos pre-definidos, ou anualmente. Outras optam por só verificar o barco quando chega de um charter. As inspeções são realizadas por mecânicos especializados, com experiência em mastreação e velas, e mergulhadores equipados com câmeras de vídeo subaquáticas. Já há empresas que acordam com os proprietários que as inspeções anuais serão realizadas por eles mesmos, outras desenvolvem programas de manutenção bem específicos, incluindo aí de quem é a responsabilidade em cada item.

Bob: O meu barco está com quase um ano de uso e 18 saídas de charter; acabamos de voltar de uma viagem com ele. E, apesar de eu contar com algum desgaste, encontrei-o com aparência de novo. Temos um acordo contratual de divisão dos custos de manutenção. Foi um dos fatores com que mais me preocupei, durante o processo de seleção da empresa para administrar meu barco. Fui conhecer barcos da frota delas, com aproximadamente um ano de uso, para ver em que estado estavam. E pedimos que abrissem as planilhas de manutenção para ver quem era responsável por quais custos. É fundamental analisar essa posição com cuidado, porque a manutenção de barcos sabidamente não é barata.

P.: Explique a política de seguro e responsabilidade civil de uma embarcação de charter. Há garantias disponíveis?

E.: As empresas de administração de charter normalmente possuem apólices de seguro para protegê-las e também seus proprietários. Em alguns casos, quem aluga uma embarcação de charter é responsável pelo pagamento das franquias, em caso de sinistro, de modo que o proprietário não precisa se preocupar com isso. As garantias dos barcos são dadas pelos fabricantes deles.

Bob: Toda a papelada relativa aos seguros é administrada pela empresa de administração de charter, de forma que não preciso me preocupar com isso. Depois de cada saída de charter, o barco é inspecionado e a empresa cobra pelos danos eventuais ocorridos.

P.: Quando acaba o programa de charter, o barco retorna para o proprietário livre e desembaraçado? Pode-se revendê-lo? O que acontece quando se opta por não ficar com o barco? É possível incluir um barco usado em sua frota, só para a cobertura de despesas? Quais as opções de administração de charter?

E.: Qual a porcentagem do barco de sua propriedade ao final do contrato depende do acordo de financiamento feito com a empresa de administração de charter. Elas também estão preparadas para dar assistência aos proprietários com a venda dos barcos, caso não queiram ficar com eles. Em muitos casos, as empresas de administração de charter têm programas de troca de barcos, ao final do período contratual, para oferecer a continuidade da relação comercial, sem interrupção do usufruto dos barcos. A maioria das empresas grandes não aceita a inclusão de barcos usados em suas frotas, mas as pequenas o fazem.

Bob: O barco e o financiamento do barco estão em meu nome, então, ao final do contrato, sou eu quem decide o que vai acontecer com ele.


Recursos
Cada uma das empresas abaixo dedica uma parte de seus sites ao assunto da propriedade de barcos em sua frota. A The Moorings tem agente oficial no Brasil (setsail.com.br), o que pode facilitar na hora de aderir ao programa com mais tranquilidade. 

Atlantic Cruising Yachts (bay-yacht.com)
Catamaran Company (catamarans.com)
CYOA Yacht Charters (cyoacharters.com)
Dream Yacht Charter (dreamyachtcharter.com)
Horizon Yacht Charters (horizonyachtcharters.com)
Sail Caribe (sailcaribe.com)
Sunsail (sunsailyachtsales.com)
The Moorings (moorings.com; yachtownership.com)
TMM Yacht Charters (sailtmm.com)

Newsletter

Cadastre-se para receber nossas novidades!

comentários