Mergulho

Seis lugares para mergulhar em água doce

por Administrador
Postado em 06 de Setembro de 2017

Selecionamos seis experiências de mergulho em água doce que vão te fascinar

Até onde você pode ver? Selecionamos seis experiências de mergulho em água doce — da Islândia até a China — que vão te fascinar. 

1 - Peixes-boi no meio da névoa (Manatees)
Crystal River, Flórida 

Eles são os ursos panda dos oceanos: ninguém discute o quanto os peixes-boi são fofos, mas eles também são muito inteligentes. "Se você consegue fimá-los e depois assiste a este vídeo em alta velocidade, vai perceber que eles fazem tudo com um propósito. Eles têm padrões muito claros", diz o biólogo  marinho e fotógrafo Alex Mustard. A área de Crystal River, situada ao norte de Tampa, na Flórida, é um local quente — literalmente — para esses mamíferos de meia tonelada. 

Peixes-boi se alimentam aqui durante todo o ano, mas só quando as temperaturas do inverno caem muito é que eles podem ser encontrados vagando ao redor de fontes como a Three Sisters, usufruindo do calor dessas águas. Por lei, os encontros com os peixes-bou podem acontecer somente se as pessoas estiverem com o equipamento de snorkeling (scuba diving não é permitido), mas esses animais naturalmente calmos são bastante curiosos. "Você vai para vê-los e é como visitar um templo zen", diz Mustard. "Eles fazem tudo lentamente — e isso é muito relaxante."

Quando ir
A melhor época é logo em seguida a um curto período de forte frio no inverno (no Hemisfério Norte, o inverno vai de dezembro a março. 

Operadora
A American Pro Diving Center (americanprodiving.com) organiza excursões para ambos os rios, o Homosassa River e o Crystal River. 

Preço de base
A excursão para o Homosassa River custa USD 59,50, e inclui o aluguel do equipamento de snorkeling e a roupa de mergulho. 


2 - O lago das maravilhas
Lake Lyngstoylvatnet, Noruega

Uma avalanche de primavera nas montanhas ocidentais da Noruega despejou toneladas de rochas no Vale de Norangsdal, represando o rio local. E assim, em 1908, nasceu o Lago Lyngstoylvatnet, que fica ao norte de Bergen, e está distante desta cidade quatro horas de viagem de automóvel. Por sorte, os aproximadamente cem residentes das fazendas próximas não tinham ainda retornado ao vilarejo de verão para a temporada, mas o conjunto de muros de pedra, casas e pequenas pontes locais também de pedra se transformou instantaneamente em um excelente local de mergulho — um local no qual Svein Wollstad tem mergulhado desde 1983. 

Wollstad é o proprietário da Alesund Dykkersenter, uma operadora de mergulho na cidade de Holmestrand, ao sul de Oslo. Ele se diverte durante esses mergulhos com as cenas que imagina enquanto nada. "Eu olho — e lá está uma cabra, lá está um monte de gente", ele diz. "Eu fico imaginando como era difícil esta vida. Há uma mágica em mergulhar aqui. Eu sinto algo diferente a cada vez que mergulho."

Quando ir
Wollstad prefere mergulhar neste lago logo depois que o gelo do inverno derrete, mas o verão é a opção mais popular. "Nessa estação, as algas crescem nas árvores", diz o mergulhador (o verão no Hemisfério Norte vai de junho a setembro). 

Operadora
A Alesund Dykkersenter oferece uma excursão de um dia para a região, que inclui dois mergulhos de praia. 

Preço de base
A excursão de um dia custa USD 273. 


3 - Um mito moderno
Shicheng City, China

Shicheng City se tornou a Atlântida da China quando foi perdida em 1959, porque o governo represou o Rio Xin'na e alagou a região para gerar hidroeletricidade. A água doce correu através das arcadas, portais, casas e estátuas da era da dinastia Han, por uma área de 570 km, criando o Lago Qiandao — e dando origem a uma lenda moderna. 

Os rumores de sua existência chegaram a Leigh Chen em 2008. Inspirado, o coproprietário da operadora Big Blue Diving — baseada em Shangai — montou uma equipe para explorar o lago, situado a oeste da maior cidade da China, a uma distância de cinco horas de automóvel. Depois de aproximadamente um ano e meio na pesquisa, "nós desistimos porque a visibilidade é muito ruim", diz Chen. Mas ele conseguiu comprometer a equipe para mais cinco mergulhos. E aí o primeiro dos cinco portais da cidade foi localizado. "A arcada é o grande destaque, porque ainda está de pé e porque todos os entalhes e esculturas ainda estão nela", diz Chen a respeito dos dragões, leões e outros animais incrustados nos desenhos. A sobrevivência da cidade é impressionante, considerando que foi construída no ano 200 D.C. 

Quando ir
A água do lago tem uma temperatura de aproximadamente 12 °C durante o ano todo. 

Operadora
A Big Blue Diving oferece excursões de fim de semana para a área do Lago Qiandao. 

Preço de base
A excursão de três dias custa USD 538. 


4 - Entre duas fornalhas
Silfra, Islândia

Mergulhe e nade através da fissura de Silfra, na Islândia — o apelido dela é "Big Crack" — e você consegue colocar uma mão na placa tectônica da Eurásia e a outra na da América do Norte. A Dive Iceland oferece excursões diárias a partir de Reykjavic para a tundra do Thingvellir National Park, situado 50 km a leste da capital. 

Uma pequena plataforma que lembra um palco conduz ao estreito corredor submarino que passa por três depressões principais: Silfra Hall, Silfra Cathedral e Silfra Lagoon. A temperatura da água nunca passa de 4 °C. Por entre as formações dentadas das paredes rochosas, a água alimentada por geleiras oferece uma visibilidade impressionante que se estende por até 100 metros, segundo a estimativa de Hossi Elefsen, instrutor de mergulho da Dive Iceland. "Esta visibilidade dá a você a sensação de estar flutuando no espaço sideral, como um astronauta", diz Elefsen. 

Quando ir
Durante o ano todo.

Operadora
A Dive Iceland é uma operadora PADI Cinco Estrelas localizada em Reykjavic, e oferece excursões diárias para as atrações dos arredores, inclusive para Silvra. 

Preço de base
A excursão de um dia para Silfra custa USD 295 e inclui transporte, equipamento, taxas do parque e um guia. 


5 - Tudo claro
Tobermory, Ontário, Canadá

"Se você está acostumado a mergulhar em água salgada, então está acostumado a se perguntar: 'O que é isto agora?'", diz Linn Graham, proprietária da operadora Divers Den, localizada em Tobermory — uma cidade que fica ao norte de Toronto, a quatro horas de viagem de automóvel. Graham está se referindo à velocidade com que corais marinhos, esponjas e algas envolvem completamente embarcações afundadas e as transformam em um irreconhecível tecido orgânico tipo patchwork. 

Nas águas frias ao largo de Tobermory, muito pouca vida aquática se acumula sobre as embarcações afundadas — nem mesmo mexilhões-zebra. "Aqui você pode dizer o que é o que — e você passa a apreciar e admirar todo o trabalho que as pessoas tiveram para fazer com que essas embarcações pudessem navegar", diz Graham. "Essas embarcações" são as centenas de escunas de madeira espalhadas pelo fundo dos Grandes Lagos; o melhor exemplo em Tobermory é o Arabia, um brigue à vela de 132 pés (aproximadamente 40 m). 

A água gelada do Lake Huron — ainda mais gelada nas proximidades do fundo de lama situado a 37 metros de profundidade — ajuda a preservar embarcações de madeira como o Arabia. A proa do barco está intacta, com um gurupés e duas âncoras ainda em seus berços. 

Quando ir
A água está mais confortável de julho a outubro. 

Operadora
A Divers Den possui cinco barcos de mergulho.

Preço de base
A excursão de barco custa USD 68 mais taxa.


6 - Se estas paredes falassem...
Pet Cemetery, Playa Del Carmen, México

"Estes animais todos já desapareceram do México", diz Vincent Rouquette Cathala, PADI IDC Staff Instructor da operadora Phocea Mexico Dive Center, a respeito das espécies que um dia pisaram no chão de uma caverna submarina chamada Pet Cemetery, localizada ao sul de Playa del Carmen. "Você consegue achar ossos de animais da última Idade do Gelo — camelos e cavalos." Esses artefatos são apenas uma das razões pelas quais Cathala cita este local como seu cenote favorito entre aqueles acessíveis a quem não tem um treinamento completo de mergulho em cavernas. 

"Tudo é tão branco — as estalactites e as estalagmites — que parece que veio do espaço, não parece que foi feito pela natureza", diz Cathala. Esta caverna rasa tem uma profundidade máxima de 20 pés (seis metros), mas a Phocea Mexico leva até lá somente mergulhadores avançados, porque as formações são muito delicadas — o domínio das habilidades de flutuação é essencial para evitar que se encoste nelas. 

Quando ir
Durante o ano todo. Os cenotes não estão sujeitos às variações do clima. 

Operadora
A Phocea Mexico, baseada em Playa del Carmen, organiza mergulhos diários para uma variedade de cenotes. 

Preço de base
A Phocea Mexico cobra USD 115 para mergulhos em dois cenotes. 

*Texto: Brooke Morton

Newsletter

Cadastre-se para receber nossas novidades!