Mergulho

Relato: Fui esquecido no mar pelo barco de mergulho

por Paul Kline
Postado em 22 de Fevereiro de 2018

''Se olhássemos bem, certamente encontraríamos o barco. Mas não havia nada lá''

Primeiro, veio a negação: se olhássemos bem, com certeza encontraríamos o barco. Mas não havia nada lá.

Aconteceu a três milhas da costa de Miami, nos Estados Unidos. Tudo começou quando, ao fim do primeiro mergulho do dia, meu amigo e eu chegamos à superfície e percebemos que havíamos sido deixados para trás.

Mantivemos a calma, e sugeri que tentássemos nadar até a costa. Cansados após o esforço físico, encontramos um cabo avariado ligado a uma boia de isopor, que sinalizava um covo. Mal podíamos nos segurar no artefato. 

Após 30 minutos ali, comecei a raciocinar. Com certeza houve uma emergência. Nenhum capitão deixaria mergulhadores na água, à deriva. Eles provavelmente voltariam a qualquer momento. 

Uma hora, e o medo veio à tona. Continuamos conversando para manter a compostura, mas os sustos eram frequentes, pois nossas pernas se roçavam acidentalmente sob a água e só conseguíamos pensar em uma coisa: tubarões. 

Um ruído de motor chama nossa atenção. Avistamos o barco e acenamos freneticamente. Do deque à popa, uma garotinha acena de volta. Ah, não. Começo a pensar na cena: ela contando para seus pais que viu pessoas simpáticas agitando os braços no meio do oceano. Eles não acreditariam.

A garota desaparece. Mas, antes que a embarcação saia de vista, ela volta. Desta vez há um adulto ao seu lado, e a embarcação manobra em nossa direção. Fomos salvos.

Newsletter

Cadastre-se para receber nossas novidades!

comentários