Testes

Lagoon 39

por Administrador
Postado em 12 de Janeiro de 2015

Conheça o catamarã que reúne muita tecnologia e opcionais em um resultado compacto e bem acabado

O momento exato em que me dei conta de que o Lagoon 39 é um catamarã de cruzeiro especial foi em uma manhã de fevereiro, na costa da Florida, enfrentando um mar picado e ventos vindo do leste. Estávamos em um contravento, enfrentando ondas pouco espaçadas de 1,5m a 2m, quando decidi experimentar a vista do banco instalado no púlpito do casco que estava a barlavento. E a minha visão foi bem reveladora, considerando que estávamos navegando em barco com menos de 40 pés.

As rodas de proa finas e hidrodinâmicas de ambos os cascos cortavam as ondas com muita eficiência e boa flutuação. Não sentia batidas na ponte entre os cascos e o que mais me surpreendeu foi que, apesar de estar preparado para uma boa ducha de água salgada, permaneci completamente seco.

Retornando ao cockpit na popa, pude constatar que o barco não só é confortável como também apresenta desempenho impressionante.
Estávamos numa orça apertada em um vento que variava entre 18 e 22 nós, com a vela principal no primeiro rizo e a velocidade se mantinha entre 6.1 e 6.4 nós.

Folgando um pouco a orça, aceleramos para 7 nós e, com o vento de través, estabilizamos em 7,5 nós. A maior velocidade alcançada foi de 8 nós, com o vento entrando pelo quarto de popa. O mais impressionante foi que em todas essas situações a navegação continuou suave e apropriadamente balanceada.

Tenho a impressão de que é algo com que me acostumaria com facilidade.

O interior, com seu layout inovador, também agradou bastante. Há muito tempo admiro catamarãs que reservam o casco de boreste para acomodar uma cama de casal King Size na popa, um escritório no meio e um banheiro com box separado na proa e que pode ser isolado do salão por meio de uma porta de correr.

No Lagoon 39 o estaleiro dobrou essa ideia bacana e a repetiu no casco de bombordo. Pode não parecer muito revolucionário, mas espelha a forma com que a maioria dos proprietários de catamarãs desse tamanho utiliza seus barcos hoje em dia (claro que o estaleiro oferece layouts
mais tradicionais com 3 e 4 cabinas).

Em todo o barco, se percebe que muita atenção foi despendida com o desenvolvimento dos sistemas, começando pela mastreação fracionada de cruzeta dupla, localizada mais para trás do que é usual, com a finalidade de obter mais potência ao mesmo tempo em que são minimizadas as tendências para caturrar, terminando com as miniquilhas, que proporcionam maior estabilidade e resistência lateral à embarcação.

Encontramos em cada detalhe do barco soluções bem pensadas, incluindo um generoso cockpit, uma estação de comando elevada, controles centralizados para comandar as velas, estação de navegação com vista para frente, uma cozinha com layout otimizado e uma generosa mesa para refeições.

Como a Lagoon conseguiu comprimir tudo isso em menos de 40 pés não chega a ser um milagre, mas chega perto.

Texto por Herb Mccormick




10xxx




Newsletter

Cadastre-se para receber nossas novidades!

comentários